Quais os Fatores de Risco que podem levar ao Glaucoma?

Glaucoma

Por ser uma doença bastante grave para a saúde ocular, o Glaucoma, é importante que conheçamos os fatores que podem desencadeá-lo. Resumidamente, esta é uma doença em que há a compressão do nervo óptico o que pode causar, inclusive, a cegueira permanente. Alguns fatores, quando analisados, podem nos apontar a chance de ocorrência ou não dessa doença. Por isso, conhecê-los nos levará a agir de maneira preventiva.

Então, quem pode ter Glaucoma?

Entre os fatores de risco ,apontados pelo Grupo Hosp, podemos destacar Pressão Intraocular, Idade, Histórico Familiar e Enia.

Pressão intraocular é o principal fator para ocorrência para a elevação da pressão ocular. Entretanto, não é possível dizer que uma pressão intraocular mais elevada necessariamente vá desenvolver a doença.

Idade é outro fator de risco. Sabe-se que , com o avançar da idade, é comum surgirem alguns tipos de degeneração na região dos olhos. Com isso, pode haver maior dificuldade em escorrer o humor vítreo, o que leva a uma possibilidade maior para que a doença aconteça.

Histórico familiar também traz maiores chances de o Glaucoma se desenvolver em pacientes que apresentarem casos familiares. A condição genética desempenha um papel muito importante na ocorrência desta doença.

Etnia é outro fator de risco, embora não esteja claro o motivo. Pessoas negras têm mais chances de desenvolver essa doença quando comparados a pacientes de outras etnias. Logicamente, nem toda pessoa negra terá o problema. Este é um fator que se torna fundamental se aliado à combinação com outras questões.

Você conhece os tipos de Glaucoma?

Glaucoma de ângulo fechado (agudo): este tipo acontece em olhos com predisposição anatômica ao fechamento do ângulo formado entre a íris e a córnea. Este é sintomático; além da dor muito intensa na região ocular e cabeça, ocorrem náuseas, vômitos e visão embaçada. Tais casos são emergenciais.

Glaucoma congênito : como o próprio nome diz, é o tipo em que a criança já nasce com a doença, herdada da mãe durante a gravidez. Este tipo de glaucoma, no entanto, é considerado raro e , se descoberto, deve-se tratar imediatamente.

Glaucoma de ângulo aberto (crônico): é o tipo mais comum, ocorre em 80% dos casos. Tende a ser hereditário, mas sua causa é desconhecida. Nele, o aumento na pressão ocular desenvolve-se lentamente com o passar do tempo, sem que o paciente perceba, mas causa um dano permanente no nervo óptico. Por ser assintomático, a melhor prevenção é o exame oftalmológico periódico.

Glaucoma secundário : o aumento da pressão intraocular ocorre após doenças inflamatórias, catarata avançada, alterações dos pigmentos existentes dentro dos olhos, hemorragias, traumas, oclusões de vasos dentro da retina, retinopatia diabética avançada e outros. O uso de corticoides oculares ou sistêmicos também pode levar ao aumento da pressão intraocular.

Tratamentos para o Glaucoma

O objetivo do tratamento é reduzir a pressão ocular. Dependendo do seu tipo, isso pode ser feito por meio de medicamentos ou até mesmo cirurgia. Importante considerar que apenas o médico oftalmologista poderá avaliar qual será o tratamento mais adequado para cada caso.

Tratamento do Glaucoma através de Cirurgias

A cirurgia de glaucoma é feita a laser, normalmente com anestesia local e, na maioria das vezes, em ambiente totalmente ambulatorial. Atualmente, existem alguns tipos de cirurgia a laser indicados para glaucoma.

  • Trabeculoplastia a laser : tal tratamento reduz a pressão ocular na maioria dos pacientes, mas o tempo que a mesma permanece baixa depende de alguns fatores como idade do paciente, o tipo de glaucoma e outras condições médicas que podem estar presentes.
  • Trabeculoplastia Seletiva a Laser (SLT) : busca drenar o humor aquoso, reduzindo a pressão intraocular através de uma mudança biológica e química realizada pela aplicação de laser. É considerada segura e com menos efeitos colaterais a longo prazo. Permite melhor cicatrização e recuperação rápida e confortável, estimulando uma resposta natural de cura no olho.
  • Iridectomia a laser ou periférica: consiste em fazer um pequeno furo na periferia da íris com o objetivo de regular a pressão intraocular como prevenção ao glaucoma de ângulo fechado ou estreito.
  • Trabeculectomia a laser: procedimento cirúrgico usado para aliviar a pressão intraocular, removendo parte da malha trabecular do olho e estruturas adjacentes. É a cirurgia de glaucoma mais comum, indicada para controlar o glaucoma em casos cujo tratamento clínico não surte efeito e quando os exames complementares mostram que o quadro clínico não evolui.

Como é a Recuperação da Cirurgia de Glaucoma?

Embora os resultados definitivos possam demorar para aparecer, o tempo de recuperação desta cirurgia pode acontecer em apenas alguns dias ou semanas. O procedimento nem sempre requer internação clínica , normalmente o paciente já pode retornar para casa no mesmo dia,

Compartilhe nossas notícias nas suas Redes:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Últimas Notícias

Quais os Fatores de Risco que podem levar ao Glaucoma?

Glaucoma é uma doença em que há compressão do nervo óptico o que pode causar cegueira permanente. Alguns fatores, ao serem analisados, podem nos apontar a possibilidade de sua ocorrência . Por isso, conhecê-los nos levará a agir de maneira preventiva.

Leia Mais »

PROTEJA SEUS OLHOS NO VERÃO!

Não é apenas nossa pele que precisa de cuidados nos meses mais quentes.Necessitamos, também, cuidados com os olhos no verão. Nesta época, o surgimento de doenças oculares é bastante grande.

Leia Mais »

Deseja agendar uma consulta?

* Retornaremos com a confirmação assim que possível

Iniciar Conversa
Deseja Agendar uma Consulta?